Verdadeira ‘Dona do Pedaço’ acusa Globo de plágio e pede indenização milionária; ENTENDA

Compartilhe!

A vendedora de bolos Sandra Rodrigues Campos entrou na Justiça contra a Rede Globo afirmando ser a verdadeira Maria da Paz, personagem principal da novela “A Dona do Pedaço” (2019). Segundo a doceira, a emissora carioca copiou sua história sem autorização. O caso foi apresentado em São José do Rio Preto, interior de São Paulo.

Os detalhes do processo, que foram divulgados pelo site Notícias da TV, mostram que a empreendedora pede R$ 5 milhões por danos materiais, R$ 5 milhões por danos morais e mais R$ 5 milhões de indenização por lucros cessantes. Sandra também quer proibir que a Globo use a marca “A Dona do Pedaço”, que afirma se referir a ela desde 2004.

Há semelhanças claras entre o enredo da novela e a vida da boleira: nascida em Rio Verde (GO), Sandra se mudou para São José do Rio Preto (SP) aos 30 anos. Ela passou a confeccionar e vender bolos caseiros, que aprendeu a fazer com a avó, para conseguir bancar as despesas da casa e criar a única filha.

Em 2004, Campos passou a apresentar um programa na TV Gente chamado ‘A Dona do Pedaço’ – que acabou virando seu apelido posteriormente. Não demorou muito para que a atração ganhasse destaque local ao exibir receitas e entrevistas.

 

A boleira afirma que foi surpreendida quando a novela batizada com seu apelido entrou no ar no horário nobre da Globo.

“Nitidamente houve violação aos direitos autorais por parte da ré, porquanto a história de vida da personagem Maria da Paz é igual à da autora além de plágio ao nome A Dona do Pedaço, que vem sendo utilizado pela autora por mais de uma década e meia, e representa suas raízes”, pontua um trecho do processo.

 

Na trama, a atriz Juliana Paes deu vida à protagonista, Maria da Paz, divorciada, com uma filha, e de origem humilde. A personagem encontra nas receitas de família o segredo para se tornar uma famosa boleira.

 

O Tempo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

Projeto do deputado Coronel Azevedo contra a vacinação obrigatória é aprovado na ALRN

Compartilhe!TweetO Projeto de Lei N° 384/2021, de autoria do deputado estadual Coronel Azevedo (PSC), que proíbe o tratamento diferenciado, constrangedor ou discriminatório a qualquer pessoa não vacinada contra o Covid-19, no âmbito do Estado do Rio Grande do Norte, foi aprovado na Assembleia Legislativa do Estado (ALRN).   Agora, o […]